Pedro Patrus

 

Belo Horizonte tem se tornado o espelho de um mundo com dificuldade de convivência democrática, em que as práticas intolerantes presenciais ou nos ambientes virtuais têm feito muitos se esquecerem do respeito ao outro. Meu sonho e luta cotidiana é uma cidade plural, para todos e para cada um, onde o valor humano esteja acima do poder material. A construção dessa cidade mais humana, solidária e inclusiva passa pelo resgate de um espaço em que a cooperação, a tolerância, o diálogo e a criatividade estão permeados pela justiça social. Cresci com esse aprendizado, e quando meu pai, Patrus Ananias, governou BH, suas ações e políticas públicas resultaram em uma convivência ética, respeitosa e cidadã. É esse o meu desejo para nossa cidade.

Como vereador, a reflexão é que a Câmara Municipal vive hoje um momento primordial para se firmar como esse espaço democrático. Todos e todas que habitam BH precisam encontrar o diálogo e a transparência, e se sentirem acolhidos. Nenhum vereador pode legislar excluindo ou fechando os olhos para a diversidade da nossa sociedade. Crenças, conceitos morais e preconceitos não podem balizar projetos de leis que excluem, segregam, retiram a dignidade humana e o pior, nos fazem retroceder à idade das trevas. O embate agora é para barrar projetos como a “escola sem partido” ou aqueles que tentam retirar direitos da comunidade LGBTs. Pasmem, podemos ter o dia da reforma protestante em BH, mas vereadores conservadores barraram a criação de uma data que reconhece a importância da Parada de Orgulho LGBT. Mesmo depois de 20 anos de realização desse evento que fortalece a luta e torna visível o quanto precisamos avançar na construção dos direitos para essa comunidade.

Belo Horizonte não pode ceder à intolerância. Sob pena de, nessa luta de todos contra todos, partirmos para a barbárie. A democracia não pode ser um chavão. A democracia tem de ser praticada. Ao eleger o prefeito Alexandre Kalil, a população apontou para a construção de um novo diálogo. Se queremos resgatar a BH diversa e plural, é preciso fortalecer a nossa democracia e respeito aos direitos de todos os cidadãos, sem exceção.

Publicado Jornal Tudo BH